segunda-feira, 1 de junho de 2015

Brasão da Família Coutinho

O sobrenome Coutinho vem da palavra couto que na Idade Média era como chamavam as regiões imunes aos impostos e a justiça real, os coutos eram concedidos pelo Rei em gratidão a um serviço prestado por um nobre, tais locais seriam usados como refúgio e asilo para criminosos, uma vez que a justiça não podia os alcançar, exceto nos casos de traição.
O sobrenome Coutinho surgiu na referência ao couto de Leomil, no qual os primeiros Coutinhos foram senhores. Teriam D. Garcia Rodrigues da Fonseca (também chamado de Garcia Roiz) junto com seu irmão D. Paio Rodrigues (D. Paião Roiz) ajudado o conde D. Henrique da Borgonha na luta contra os mouros, pelos seus serviços D. Garcia Rodrigues da Fonseca recebeu a honra de Fonseca e o couto de Leomil, que passaria para seu filho D. Egas Garcia da Fonseca, os filhos deste adotariam o apelido Coutinho, por causa da pequena extensão do couto de Leomil.
Muitos nobres portugueses descendiam dos senhores de Leomil, dentre estes se pode destacar o lendário D. Álvaro Gonçalves Coutinho, chamado de o Magriço, cujas aventuras são narradas pelo grande poeta Luís Vaz de Camões. D. Álvaro Gonçalves Coutinho foi um dos Doze de Inglaterra, cavaleiros andantes portugueses que teriam ido a Inglaterra defender a honra de doze donzelas inglesas, segundo a lenda, D. Álvaro Gonçalves Coutinho desembarcou na Grã-Bretanha e seguiu a cavalo até o duelo, para conhecer os costumes e as manhas dos cavaleiros daquelas terras, enquanto seus companheiros seguiram de barco até seu destino, porém ao chegarem lá, D. Álvaro ainda não havia chegado, mas no ultimo instante ele apareceu e venceu os cavaleiros ingleses que haviam ido contra a honra das doze damas.
No Brasil destaca-se Vasco Fernandes Coutinho que recebeu do rei D. João III a Capitania do Espírito Santo pelos serviços prestados ao reino em campanhas na África e na Índia. O premio lhe serviria de castigo uma vez que a conquista das terras capixabas se mostrou muito difícil. Mais tarde Francisco de Aguiar Coutinho venceria os holandeses que eram comandados pelo grande almirante Pieter Pieterszoon Heyn.
O ultimo donatário da família Coutinho foi Antônio Luís Gonçalves da Câmara Coutinho que passaria a Capitania do Espírito Santo (que por quase um século e meio pertenceu a família) ao fidalgo baiano Francisco Gil de Araújo em 1674.
Fradique Coutinho neto de Vasco Fernandes Coutinho foi um bandeirante que ajudou na expansão das fronteiras brasileiras, participando da conquista de Guaíra no Paraná. Descenderia de Vasco Fernandes Coutinho a família Azeredo Coutinho e estaria associada a ele a família Câmara Coutinho, grandes senhores de terra do Brasil colonial.
Acima o brasão dos Coutinho de Portugal, de ouro com cinco estrelas de cinco raios em vermelho, ao lado o brasão do capitão Manuel de Azeredo Coutinho Messeder. Pertenceu a família Azeredo Coutinho o barão Sebastião da Cunha de Azeredo Coutinho, primeiro e único barão de Azeredo Coutinho nos tempos do Império do Brasil.

7 comentários:

  1. Olá gostaria de saber mais sobre o Nme Coutinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arma principal dos Coutinhos eram uma Lança

      Excluir
    2. Arma principal dos Coutinhos eram uma Lança

      Excluir
  2. Olá gostaria de saber mais sobre o Nme Coutinho

    ResponderExcluir
  3. Como faço para baixar o brasão e imprimir sem o logo do blog??? quero dar de presente para minha mãe. Obrigada.

    ResponderExcluir