quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Brasão da Família Barral

O sobrenome Barral surgiu na Espanha e é toponímico, ele foi tomado de regiões chamadas de Barral, principalmente na Galiza.
O nome Barral vem do antigo galego-português, uma língua usada na Idade Média nas regiões onde hoje ficam Portugal e a Galiza. O nome Barral seria usado para indicar um lugar com muito barro ou um atoleiro.
O brasão da família Barral galega é em verde com três varas de prata e uma asa de ouro coberta com oito rosas em vermelho.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Brasão da Família Jaster (Jaster Familienwappen)

O sobrenome Jaster surgiu no Norte da Alemanha e é uma variação frísia do nome alemão Gaster, este por sua vez vem da palavra Gast  que significa “convidado”.
O sobrenome Jaster é patronímico, no qual filhos de homens chamados Jaster adotaram este nome como apelido. O brasão da família Jaster do Hesse é partido com o primeiro em vermelho com meia flor-de-lis em prata, e o segundo em verde com três estrelas de seis pontas em ouro.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Brasão da Família Saldanha

O sobrenome português Saldanha é toponímico e foi usado para indicar que tal família havia vindo de Saldaña na Espanha. O nome Saldaña está relacionado ao antigo nome Saldania, que denominava uma região em Castela e Leão próxima a Cantábria, Saldania significa “lugar de água abundante”, tal lugar já era conhecido pelos romanos que lutavam contra os povos cântabros.
O sobrenome passou a Portugal por meio do conde D. Sancho Dias de Saldanha, outros Saldanhas descendem de Diogo Lopes de Saldanha que chegou a Portugal no reinado de Afonso V.
O brasão da família Saldanha é em vermelho com uma torre de prata, iluminada, lavrada e coberta de azul com uma cruz de ouro.

domingo, 2 de agosto de 2015

Brasão da Família Cotrim

O sobrenome Cotrim, também escrito Cutrim, vem do sobrenome inglês Coterel (ou Cotrel), apesar de muitos crerem que os Cotrim tenham vindo da Itália ou da França, na verdade eles vieram da Inglaterra e um ramo da família passou a Portugal no século XIV.
O sobrenome Cotrel vem da antiga palavra latina coterellus, que gerou o francês antigo coterel, este era um tipo de inquilino de uma casa no campo que pagava o aluguel de sua propriedade com serviço. Após a Conquista Normanda da Inglaterra, no século XI, surgiu a família Coterel inglesa, tal família passaria a Portugal por meio de Jaime Coterel, fidalgo e monteiro-mor do Infante D. Henrique.
Jaime Coterel veio a Portugal junto com a comitiva da princesa inglesa Filipa de Lencastre, que casou com o rei português João I de Portugal, mais tarde Jaime Coterel serviria ao filho do rei, o Infante Dom Henrique de Avis.
O sobrenome se adaptaria a língua portuguesa tornando Coterel em Cotrim. O brasão da família Cotrim é xadrezado de ouro e de azul, o timbre são três plumas em azul chapeadas de ouro.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Brasão da Família Canto

O sobrenome português Canto é uma variação do sobrenome inglês e alemão Kant, que é ocupacional e está relacionado à palavra Chantre, do antigo francês. O Chantre era o mestre do coro ou cantor de salmos nas catedrais e mosteiros medievais.
O cavaleiro inglês João de Kant se estabeleceu na Galiza e seus descendentes vieram para Portugal, o nome Kant foi adaptado à língua portuguesa gerando o sobrenome Canto. Aos Cantos de Portugal foi dado o brasão em vermelho com um canto de uma muralha de prata em forma de ponta diminuída.
D. Pedro Anes do Canto, bisneto de João de Kant, passou aos Açores se estabelecendo na Ilha Terceira, gerando o ramo dos Cantos das Ilhas. Pelos seus serviços, D. Pedro Anes do Canto recebeu do rei D. João III o brasão em vermelho com um canto de uma muralha de prata, sobre ele uma torre de prata com quatro bombardas nas ameias lançando fogo.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Brasão da Família Stoppato (Stemma della famiglia Stoppato)

O sobrenome italiano Stoppato surgiu na Lombardia, com importantes ramos nas comunas de Milão, Pavia e Varese na Lombardia, assim como na comuna de Turim em Piemonte e na comuna de Verona na região de Vêneto.
O sobrenome Stoppato está relacionado à palavra italiana stoppa, que significa “estopa”, que é o nome dado a fibras de algodão, o cânhamo ou linho, que após serem espadeladas e penteadas podem ser usadas na fabricação de pavios de velas ou de artilharia e artefatos explosivos, assim como para calafetar as tábuas do casco das embarcações e estofar moveis como poltronas e sofás. Desta forma acredita-se que o sobrenome Stoppato seja ocupacional, relacionado a algum ofício que se usa a estopa, outra provável origem ao sobrenome é que possa ter surgido como uma alcunha relacionada uma característica física, dado a pessoas com cabelos semelhantes à estopa.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Brasão da Família Neto

O sobrenome Neto surgiu na alcunha usada para distinguir um neto de seu avô quando eles têm o mesmo nome. O nome Neto já era usado como apelido em Portugal desde o século XII, quando certo Pedro Neto foi testemunha em uma escritura do Mosteiro de Lorvão, no distrito de Coimbra.
Os nobres da família Neto portuguesa descendem dos Netos da Cidade Rodrigo, estes teriam passado a Salamanca. Durante o reinado de Manuel I de Portugal um ramo da família Neto de Salamanca passou a Portugal por meio de Pedro Gonçalves Neto, este foi pai de D. Braz Neto que junto com seu irmão registraram o brasão partido de vermelho e de azul, sobre ambas um leão de ouro armado de negro, com uma bordadura de ouro, carregada de quatro flores-de-lis de prata e quatro folhas de figueira em verde postas em cruz.